quarta-feira, 30 de julho de 2014


Para entender a fundo o conflito
entre a nação palestina e o enclave
sionista de Israel

O Blog da LBI reproduz uma matéria programática histórica, originalmente publicada há quase 20 anos no Jornal Luta Operária nº 6 (novembro de 1995). Nesta elaboração desenvolvemos uma rigorosa delimitação teórica e política com as correntes revisionistas do trotskismo e também com o nacionalismo árabe e o stalinismo. Em um período onde a LBI sedimentava as bases programáticas de sua estruturação principista como organização comunista, este artigo serve até hoje como um guia de orientação, com suas “armas da crítica”, na recorrente “guerra” de classes entre o regime nazi-sionista e o povo palestino. Como uma “profecia” do marxismo já alertávamos há anos que não poderia haver uma solução capitalista “intermediária e parcial” acerca da questão palestina, mesmo que este “esforço” concentrasse todas as atenções do imperialismo ianque e europeu. Diante de outra ofensiva genocida sionista, emerge do trágico cenário do conflito, a única resolução possível para deter a exterminação de um povo: A destruição completa do enclave militar imperialista na região pela via revolucionária das massas árabes e judias!


A Questão Palestina à Queima Roupa!

Os "Acordos de Paz", celebrados entre a OLP e o Estado de Israel na capital norte-americana em 1993, e ratificados este ano com a "devolução" de algumas cidades ocupadas pelo exército israelense na faixa de Gaza e na Cisjordânia, longe de colocarem um fim aos graves conflitos que assolam esta região, como tenta passar o imperialismo e suas agências de propaganda, apenas reacenderam com mais força ainda, as profundas tensões que cercam a luta heroica do povo palestino contra o enclave sionista de Israel.

terça-feira, 29 de julho de 2014


Derrubada do Boeing: Depois de adotarem a “política de avestruz”, revisionistas (PCO, PTS, PSTU etc.) se convertem em papagaios de Obama

Mais de uma semana depois da derrubada do Boeing 777 da Malaysia Airlines na Ucrânia, ocorrida em 17 de julho, os grupos revisionistas do trotskismo que adotaram durante todo esse período a vergonhosa política de avestruz, começaram a colocar aos poucos a cabeça para fora a fim de repetir, agora como papagaios obedientes e servis, a versão do imperialismo e da mídia “murdochiana” venal que responsabiliza a Rússia e os rebeldes separatistas das “repúblicas populares” de Donetsk e Lugansk de terem lançado o míssil que derrubou a aeronave, matando quase 300 civis de várias nacionalidades. Não para a nossa surpresa, a canalha revisionista que caracteriza até hoje que está em curso um “processo revolucionário na Ucrânia”, aliando-se aos bandos fascistas e aos golpistas de Kiev contra os rebeldes do Leste do país, saiu a declarar sobre o ataque ao avião que “Hoje segue havendo especulações de todo o tipo mas o único que é seguro é que ele foi derrubado por um míssil de um lançador de origem russa” (As consequências da derrubada do avião da Malaysia Airlines, 25 de julho de 2014, La Verdad Obrera). Esta é a posição do PTS argentino que, via de regra, reflete a caracterização do conjunto da grande família pseudotrotskista, como o PSTU e mesmo o PCO. Este último, apesar de declarar que apoia a reação antifascista na Ucrânia, classificou o ataque tramado pela CIA e Kiev como um simples “incidente”! Junto com a Casa Branca, a OTAN e o imperialismo europeu, as mesmas forças políticas que na Líbia se somaram a esta frente contrarrevolucionária para combater a “ditadura sanguinária” de Kadaffi e na Síria, em uníssono, acusaram o governo Assad de assassino por supostamente jogar Gás Sarin contra seu próprio povo, quando na verdade este foi alvo do terrorismo dos grupos islâmicos financiados pelo Qatar e a Arábia Saudita (aliados dos EUA e Israel), agora mais uma vez dizem que a Rússia e os rebeldes foram responsáveis pelo ataque. Para camuflar sua posição escandalosa, o PTS alega que o lançador de mísseis é de origem russa (os sistemas de mísseis Buk-M1), quando até o mais bucéfalo dos seres humanos sabe que as forças armadas ucranianas ainda usam armamento russo, porque o país era até pouco tempo aliado militar do Kremlin na qualidade de ex-república soviética. A questão é quem ordenou o lançamento de tal ataque e todos os elementos políticos e militares apontam para uma só direção: o governo pró-imperialista de Kiev em uma operação desastrosa comandada pela CIA, cujo objetivo era atingir o avião presidencial de Putin que voava no dia 17/07 na mesma região e horário. Como a canalha revisionista é aliada tática da ofensiva dos fascistas e das potências capitalistas contra os rebeldes, preferem se calar diante de todas as evidências que demonstram a trama montada pela Casa Branca e Kiev, optando por em nome de patrocinar a “guerra de versões” afirmarem cinicamente que “A derrubada do voo 17, independentemente de quem atirou e se era um erro no meio da luta, é um resultado direto da guerra civil que vive na Ucrânia” (Idem). Ocorre que o PTS argentino e o restante da canalha revisionista (LIT, UIT...) tem um campo militar e política clara na guerra civil em curso: no terreno dos “revolucionários” fascistas da Praça Maidan que derrubaram em 22 de fevereiro deste ano presidente Viktor Yanukovych (aliado de Putin) e pariram o governo golpista de Kiev, aliado do imperialismo ianque. Estes são os verdadeiros responsáveis pela tragédia do voo da Malaysia Airlines, os mesmos que colocaram fogo na Casa dos Sindicatos em Odessa assassinando quase 70 pessoas, entre eles vários militantes de esquerda e perseguem o Partido Comunista e, inclusive, grupos que se reivindicam leninistas! Por isso, os revisionistas do trotskismo chamam a derrotar os rebeldes separatistas, são contra o direito das “repúblicas populares” de Donetsk e Lugansk de se tornarem independentes da Ucrânia e se unificarem com a Rússia, copiando mais uma vez a política do imperialismo que avança no esmagamento militar da resistência no Leste do país!

segunda-feira, 28 de julho de 2014


Greve dos professores em Fortaleza: “É preciso transformar a desconfiança da categoria com as direções burocráticas em ação direta contra o governo Roberto Cláudio e seus aliados de ontem e hoje”

O Jornal Luta Operária entrevista as companheiras Aparecida Albuquerque e Lilian Caldas, ambas professoras do município de Fortaleza, militantes da TRS e da Oposição de Luta.

JLO – Como você analisa a deliberação da assembleia geral dos trabalhadores em educação pela greve a partir do dia 1º de agosto?

Aparecida Albuquerque (AA): A greve, em primeiro lugar, foi chamada de forma tardia, porque a gestão Roberto Cláudio já está há quase dois anos no comando dos ataques a nossa categoria e sobre o funcionalismo municipal sem que nada tenha sido feito até então para barrar as investidas do filhote do clã Ferreira Gomes. Somente agora a direção do Sindiute, completamente subordinada à política de colaboração de classes da direção estadual do PT aliada à oligarquia Ferreira Gomes, convocou uma assembleia da categoria. Mesmo com a presença massiva dos trabalhadores na última assembleia, mais de dois mil, a direção petista do sindicato manobrou para decretar o início da greve apenas para 1º de agosto, se valendo do surrado argumento burguês-jurídico de “respeito à Lei de Greve” e assim atrasar o desenvolvimento da luta, ou seja, atuou de forma proposital e consciente ao não elaborar um calendário de lutas, nem organizar piquetes para atuar antes e durante a greve.

sexta-feira, 25 de julho de 2014


Enclave sionista chama o Brasil de “anão” e “irrelevante”, enquanto governo Dilma como capacho do imperialismo diz que o genocida Netanyahu é “amigo”

A ofensiva reação do enclave sionista de Israel, muito distante de ser um país ou uma nação é na verdade a fortaleza militar (também habitada por civis) de ocupação imperialista na Palestina, a tímida posição da chancelaria do governo Dilma que convocou seu embaixador em Tel Aviv de volta ao Brasil a título de “consulta”, configura-se como uma verdadeira declaração de guerra a soberania de nosso povo. Os chacais genocidas de Israel, covardes e infames sob qualquer ângulo de visão da existência humana, reagiram com total ofensividade diante da posição do Itamaraty em declarar como “desproporcional” os ataques da máquina de guerra sionista contra o povo palestino. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, afirmou que a decisão do Brasil de chamar seu embaixador para consultas é uma demonstração das razões que levam o Brasil, apesar de ser “um gigante econômico e cultural, permanecer um anão diplomático”. O documento emitido pela chancelaria sionista continua ainda com as provocações declarando que: “A atitude brasileira não contribui para promover a calma e a estabilidade no Oriente Médio e que dá vento favorável ao terrorismo, além de naturalmente afetar a capacidade do Brasil de exercer influência”. Em contrapartida, o governo brasileiro mostrou a sua completa subordinação ao imperialismo ianque e seus “cães” de guerra como é Israel, o chanceler Luiz Alberto Figueiredo argumentou que: “Brasil e Israel, na condição de nações amigas, podem discordar entre si, sem problemas”. O subalterno Figueiredo emendou, em clara lição de submissão a Tel-Aviv que: “O Itamaraty não usa termos que desqualifiquem governos de países amigos”. No mesmo dia em que o Brasil foi chamado de “anão” e de “colaborar com o terrorismo”, Israel bombardeava uma escola da ONU que servia de abrigo a população palestina em Gaza submetida a “chuva” de bombas da aviação terrorista, assassinando dezenas de mulheres e crianças indefesas. Mas o chefe do Itamaraty não contesta: “O direito de Israel de se defender. Jamais contestamos isso. O que contestamos é a desproporcionalidade das coisas” (Luiz Figueiredo, Folha de S.Paulo, 24/07). O mínimo que podia se esperar de um governo “democrático e popular”, como autorreivindica o PT, diante das ameaças e provocações do governo nazi-sionista de Netanyahu com o Brasil, era a imediata ruptura de relações diplomáticas com o regime sangrento dos genocidas do povo palestino. Como Marxistas Revolucionários, mais do que exigir o fim dos covardes ataques terroristas de Israel a Faixa de Gaza, levantamos a necessidade de armar o povo palestino e todas suas organizações políticas e militares (bem preparadas no justo combate), para que possa se defender e fazer frente a ofensiva imperialista que objetiva a liquidação de toda uma nação oprimida. Exigimos do governo Dilma o imediato cancelamento de todos os acordos comerciais e militares com o enclave sionista, ampliando esta posição a todos os países do Mercosul. A posição brasileira assumida no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas que votou favoravelmente à condenação da atual ofensiva militar de Israel na Faixa de Gaza deveria se traduzir em apoio material concreto (militar e logístico) e político ao povo palestino. Esta vergonhosa atitude de “recuo diplomático” do governo Dilma (incluída sua anturragem do Itamaraty coordenada oficiosamente pelo petista Marco Aurélio Garcia) frente aos insultos dos chacais sionistas envergonha a maioria de nosso povo que já demonstrou nas ruas deste país que está inteiramente solidário ao martírio dos irmãos palestinos, que neste momento necessitam de efetivas ações internacionais em sua defesa como nação.

quinta-feira, 24 de julho de 2014


Professores de Fortaleza decretam greve para derrotar os ataques neoliberais da oligarquia Gomes e seu aliado “canino”,
o PT!

Mais de dois mil trabalhadores em educação de Fortaleza decidiram na manhã desta quinta-feira, 24 de julho, que entrarão em greve no próximo dia 1 de agosto. Expressando o profundo repúdio à política de arrocho salarial e corte de direitos do prefeito Roberto Cláudio (PROS), filhote da oligarquia Ferreira Gomes, os professores rechaçaram as esmolas oferecidas pela administração municipal, exigindo o pagamento das “dívidas” que a prefeitura tem com os trabalhadores, como 4,9% do piso salarial retroativo a janeiro, aumento do vale alimentação e o pagamento dos anuênios atrasados. Além disso, eles exigem que a proposta de concentrar mais poderes nos diretores de escolas seja retirada já que os gestores seguem as truculentas ordens diretas do prefeito e de seus aliados políticos, que vão desde a direita (DEM) até o PT. A companheira Simone Freitas, professora e dirigente da TRS/LBI, interveio na assembleia (Ver Vídeo) denunciando não só os ataques desferidos pela prefeitura do PROS, mas também a política da direção do SINDIUTE que hoje faz o jogo da direção estadual do PT, aliada da oligarquia Ferreira Gomes. Não por acaso, os burocratas sindicais que romperam com a corrente revisionista “O Trabalho” e se bandearam corrompidamente para a Articulação (PT) trataram de em nome do “respeito à lei de greve” adiar por mais de uma semana o início da paralisação, quando os professores já desejavam sair da assembleia de braços cruzados para impedir a perseguição e o assédio moral dos diretores, capachos da prefeitura, tanto que tiveram um aumento de 40% em seus salários no último ano para intimidar os trabalhadores em educação e defender o programa educacional privatista e excludente de Roberto Cláudio! Como afirmou a companheira Simone, a greve só será vitoriosa se o SINDIUTE romper com a sua política de paralisia e apoiar os piquetes nos locais de trabalho impulsionados desde a base da categoria, conduta que certamente não ocorrerá tendo em vista a política de colaboração de classes desta canalha sindical vendida.

quarta-feira, 23 de julho de 2014


O “Aécioporto” e a histeria reacionária do PSDB contra os ativistas de esquerda

Para a esquerda revisionista, “colega” da oposição Demo-Tucana, que não cansa de afirmar que o “monopólio” da reação é exclusividade do governo Dilma vale a pena constatar como a Tucanalha orienta seu programa de governo contra os movimentos sociais. Terminado o “afair” da Copa da mafiosa FIFA e farra das empreiteiras, um novo escândalo da oposição  conservadora ocupou os noticiários da mídia “murdochiana” preocupada  com uma súbita queda do PT nas pesquisas eleitorais, a denúncia da construção de um aeroporto na fazenda da família de Aécio Neves no interior de Minas Gerais na minúscula cidade de Cláudio. A obra que teve um custo de 14 milhões de reais (quantia suficiente para construir um aeroporto em uma cidade de médio porte!) foi subsidiada  com verbas dos cofres públicos do estado de Minas no apagar das luzes do governo Aécio, com o objetivo de beneficiar a família Neves e as mais reacionárias oligarquias da região (como o clã dos Tolentinos). Os Tolentinos foram inúmeras vezes denunciados por se utilizarem de mão de obra escrava em suas fazendas e por crimes de grilagem e pistolagem, jamais investigados a fundo e abafados pela mídia corporativa e seus jornalões. Esclarecedora é a declaração do chefe de gabinete da prefeitura de Cláudio: “O aeroporto é do Estado, mas fica no terreno dele. É Múcio (tio-avô de Aécio) que tem a chave”, ou seja, é usado apenas para fins particulares, ficando proibido o uso de quem não pertença ao staff Neves. Os “amigos” de Aécio no estado são conhecidos por diversos outros escândalos, como o do transporte de cocaína no helicóptero dos Perrella no final do ano passado, cuja família também responde a vários processos relativos à fraude fiscal no programa criado pelo governo do PSDB “Minas sem fome”, às superfaturadas vendas de refeições aos presídios mineiros etc. etc. Na anturragem Demo-Tucana corrupção e repressão  política andam juntas, e neste arco de “eminentes amigos” Aécio “Névoa” do pó defendeu com unhas e dentes as prisões ilegais de ativistas de esquerda no Rio de Janeiro pela polícia a mando de um juiz fascistóide, os “líderes de manifestações violentas, que atacavam policiais e promoviam a destruição de patrimônio público... não podemos compactuar com o crime e com grupos que usam a violência para tomar à força as ruas” (Fórum, 23/7). O governador  Pezão, que formalmente pertence a base Dilmista (contando com a preferência eleitoral da presidenta), mas que desenvolve uma campanha aberta pela dobradinha “Aezão”, desencadeou no Rio um regime integralista onde a esquerda revolucionária é tratada como "terrorista" pelos órgãos policiais.  Aécio declarou  apoio total à repressão policial e afirma que implantará  um novo regime autoritário no Brasil , como publicitou em um dos sites de sua campanha presidencial. Não por coincidência o “Conversa com brasileiros” foi hackeado, onde apareceu uma mensagem dos Anonymous: “Então quer dizer que o senhor Aécio Neves apoia a repressão contra os protestos populares? Ainda bem que políticos como ele jamais governarão este país!”. A conduta reacionária do tucano mineiro apenas revela como um futuro governo da oposição burguesa (Alckmin possivelmente como opção do imperialismo em 2018) trataria a população pobre e os ativistas sociais, histericamente como caso de polícia e qualificando de “terrorismo” qualquer ato de protesto popular contra a ordem capitalista estabelecida.

terça-feira, 22 de julho de 2014


Governo pseudoprogressista do Uruguai nega asilo político à advogada Eloisa Samy, perseguida política do “estado de exceção” vigente no Rio de Janeiro. Liberdade para todos os presos políticos da Copa da FIFA!

A advogada Eloisa Samy e mais dois ativistas que tiveram mandados de prisão expedidos pela (in)justiça carioca, a mando do governo fascista do PMDB( Pezão e C&A), títere das empreiteiras e da oligarquia reacionária que domina o estado, pediram asilo político no consulado do Uruguai na tarde desta segunda-feira (21/07). Em um vídeo postado na internet, Eloisa que não se entregou aos seus carcereiros por temer pela sua integridade física, pede anistia a todos os presos políticos: “Hoje, sou uma perseguida política, sendo criminalizada pela minha atuação na defesa dos direitos de manifestação. Fui denunciada pelo crime de formação de quadrilha armada com outras 22 pessoas, algumas das quais sequer eu conhecia”, “Jamais cometi qualquer ato que infringisse a lei (...) Meu único crime é a firme posição que adotei para defender a Constituição”. A advogada com uma combativa trajetória na defesa dos direitos humanos e outros 17 militantes são considerados foragidos depois de terem a prisão preventiva decretada na sexta-feira (18/07). A cônsul do Uruguai na capital fluminense, Myriam Fraschini Chalar, após consultar a embaixada de seu país em Brasília, negou o apoio a Eloisa alegando o motivo “técnico” de que não existiria asilo consular. Segundo fontes diplomáticas de Montevidéu o governo de Pepe Mujica, que vem publicitando mundialmente uma imagem de “progressista”, não considerou que houvesse a supressão do estado democrático de direito no Brasil, mesmo com dezenas de ativistas políticos criminalizados e presos nos estados do Rio e São Paulo sob a absurda alegação de “terrorismo” e “formação de quadrilha”. Na verdade, o presidente Mujica não quis criar o menor atrito político com sua colega Dilma, “madrinha” da reeleição do corrupto governador Pezão. No Rio de Janeiro o clima político criado hoje é muito parecido com o final dos anos 60, onde militantes da esquerda revolucionária eram acusados de “terrorismo” e perseguidos pela polícia e justiça como “bandidos” comuns. Nesta época não foram poucos os casos de pedido de asilo em embaixadas estrangeiras, quase sempre negados como ocorreu com Eloisa. Para legitimar a farsa jurídica contra militantes da esquerda que se opuseram à realização da Copa da mafiosa FIFA no Brasil, o governo Pezão utilizou os serviços do comprometido Ministério Público estadual e de um juiz de pública vocação integralista, Flávio Itabaiana, que responde a uma investigação contra ele no Conselho Nacional de Justiça. Na realidade, a arbitrária decretação da prisão de Eloisa corresponde a uma vingança pessoal do ex-governador Sérgio “Caveirão”, em razão da advogada ter participado ativamente do acampamento “Fora Cabral” em junho de 2013. Neste momento a mídia “murdochiana” reproduz as estúpidas acusações do juiz Itabaiana que denunciou os ativistas por “tentativa de incendiar a Câmara municipal do Rio”. Os presidentes Dilma e Mujica ambos ex-presos políticos e também vítimas de acusações absurdas como as que estão sendo lançadas hoje contra os militantes sociais do Rio e São Paulo, são cúmplices dos fascistas Alckmin e Pezão e jogam na lata do lixo da história suas trajetórias políticas de guerrilheiros contra as injustiças do capital. O movimento de massas, com o apoio de todas as entidades democráticas do país, deve sair imediatamente às ruas para exigir o fim do estado de exceção e da supressão das liberdades constitucionais, sob pena de estarmos assistindo passivamente o limiar do surgimento de um novo regime autoritário no Brasil.

sexta-feira, 18 de julho de 2014


A estúpida tese do imperialismo que a derrubada do Boeing na Ucrânia serviria aos interesses dos rebeldes pró-russos

Um dia após a derrubada do avião da Malaysia Airlines na Ucrânia, Obama cinicamente afirmou que o Boeing 777 foi abatido por “um míssil terra-ar lançado a partir de uma área controlada por rebeldes pró-Moscou”. Desde a Casa Branca, o falcão negro acusou que ataques desse tipo não são possíveis sem treinamento e equipe especializada, insinuando que foi com a ajuda da Rússia que a resistência separatista derrubou a aeronave. No mesmo tom, a embaixadora ianque na ONU, Samantha Power, declarou que “Devido à complexidade técnica, é improvável que os separatistas pudessem operá-lo (sem assistência técnica). Não podemos descartar a assistência técnica dos russos”. Por fim, a víbora Hillary Clinton, ex-secretária de Estado dos Estados Unidos, defendeu medidas enérgicas caso se comprove uma ligação da Rússia com a derrubada do avião. Durante uma entrevista, “madame” Clinton afirmou: “Parece haver uma consciência crescente de que insurgentes russos estavam por trás da derrubada de um avião Malaysia Airlines na Ucrânia. Se houver evidências que apontem nessa direção, o equipamento veio da Rússia. Há uma grande preocupação não só com um avião civil derrubado, mas o que isso significa sobre a continuação do conflito no Leste da Ucrânia e do papel da Rússia”. Como se observa, o imperialismo, seus porta-vozes e a mídia venal já estão em plena “campanha” para acusar os rebeldes e a própria Rússia como responsáveis pela derrubada do Boeing, quando na verdade o ataque se tratou de uma operação desastrosa montada pela CIA em conjunto com as FFAA da Ucrânia para abater o avião presidencial de Putin que voava no mesmo horário e região, errando o alvo e matando centenas de civis. A tese patrocinada por Obama é absolutamente ridícula, tanto do ponto de vista político como militar. De forma alguma interessava aos separatistas das “repúblicas populares” de Donetsk e Lugansk abaterem um avião civil matando quase 300 pessoas, tendo em vista que tal ação desencadearia uma feroz ofensiva política, diplomática e militar internacional contra a resistência pró-russa, como já está ocorrendo através da farsa orquestrada por Obama e toda a corja capitalista. Além disso, do ponto de vista estritamente militar, os rebeldes não possuem esse tipo de míssil terra-ar, inclusive seus dirigentes já haviam denunciado há várias semanas que o próprio Putin não estava fornecendo armas e munições para o combate da resistência aos bandos fascistas e ao governo fantoche de Kiev, que estavam avançando rapidamente sobre as “repúblicas populares”. Na verdade, está em curso uma verdadeira operação política e midiática mundial montada pelo imperialismo, com o apoio dos investigadores da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) que estão no local da queda do avião, para culpar os rebeldes visando tanto seu completo esmagamento militar como aumentar a pressão e as sanções sobre a Rússia, que já não vinha prestando apoio aos rebeldes, porém os defendia no campo diplomático e na ONU. No mais, o fato dos restos do avião terem caído nas proximidades da cidade de Donetsk, forçando que os rebeldes permitam o acesso de “investigadores-espiões” imperialistas na delicada zona de conflito que controlam reforça o quão patética é a tese vendida pelo imperialismo e seus lacaios. O mais grave é que esta cantilena estúpida, que serve à ofensiva da OTAN na Ucrânia, será “comprada” pelo revisionismo trotskista que desde o início da crise da Ucrânia tem se postado no campo político e militar dos golpistas de Kiev, dos bandos fascistas e do imperialismo!

quinta-feira, 17 de julho de 2014


Governo pró-imperialista de Kiev e a CIA tentaram atingir avião de Putin e acabaram matando civis

A derrubada do Boeing da Malaysia Airlines, atingido por um míssil quando cruzava o espaço aéreo da Ucrânia fez parte de uma operação militar da CIA que pretendia assassinar o presidente russo Vladimir Putin. A comitiva estatal russa retornava de uma viagem ao Brasil, onde consolidou politicamente o bloco dos BRICS com a criação de um banco de fomento gerando a ira do FMI, quando atravessou o céu da Ucrânia uma hora depois do avião civil que partiu da Holanda para a Malásia. O serviço secreto russo não divulgou previamente a rota do moderno avião de Putin, que está equipado com baterias antimíssil, mas há suspeitas de infiltração da CIA na delegação russa, o que não é propriamente uma “novidade”. A frota aérea da comitiva estatal de Putin dispõe de dois aviões idênticos e nunca é divulgado em que aeronave o presidente embarcará, esta prática de segurança é a mesma utilizada pelo governo ianque há várias décadas, como o espaço de tempo entre os dois jatos é de cerca de meia hora especula-se que o Boeing da Malaysia se “meteu” na mira dos terroristas da CIA exatamente neste interregno. Uma reportagem da agência de notícias “Russia Today” traz a declaração de uma fonte da Aviação da Rússia que pediu para não ser identificada: “Posso dizer que o avião presidencial e o Boeing de Malaysia Airlines cruzaram o mesmo ponto e o mesmo corredor. Isto ocorreu perto de Varsóvia a uma altitude de 10.100 metros. O avião presidencial estava no local às 16h21 (hora local) e o avião da Malaysia Airlines às 15h44 (hora local)”, declarou o funcionário do departamento de defesa russo. A tragédia causou a morte de 295 pessoas de várias nacionalidades que estavam a bordo do Boeing , e para se livrar de sua responsabilidade no covarde atentado o governo fascista de Kiev, cúmplice da CIA, quer colocar nas costas dos rebeldes pró-russos o ônus do desastre. Não por coincidência, no dia anterior Obama, baseado em um relatório da CIA que acusava o governo de Moscou de ampliar a ajuda militar aos separatistas ucranianos, anunciava várias sanções econômicas contra Putin e empresas russas. Na verdade, o maior temor neste momento da Casa Branca é que Putin interfira na crise do Oriente Médio, sinalizando ao Irã que apoiará uma ação dos Aiatolás contra o genocídio sionista em curso contra o povo palestino. O Irã já declarou que precisaria do respaldo russo para atacar Israel ou mesmo fornecer armamento pesado para que o Hamas possa fazer frente à ofensiva sionista. Putin neste momento é a peça chave no explosivo cenário do Oriente Médio, que poderá inclusive deflagrar um conflito atômico entre as forças militares de Israel e o Irã. Depois do vergonhoso recuo na guerra civil da Ucrânia, o governo russo estava sendo pressionado por setores "ortodoxos" do antigo Exército Vermelho, a intervir junto aos países árabes (Irã, Síria e Líbano) contra a sangrenta investida do nazi Netanyahu, mas a CIA não poderia nem admitir esta possibilidade. Com o pragmatismo dos falcões do Pentágono “dando as cartas” em Washington o mais próximo da realidade, mais além das ficções conspirativas, é que a CIA tenha planejado o atentado contra Putin há algum tempo, encontrando no retorno da comitiva russa do Brasil o melhor momento.

quarta-feira, 16 de julho de 2014


Balanço e Perspectivas para o início
do circo eleitoral

Recém encerrado o circo do mundial da mafiosa FIFA marcado pelo vexame da seleção brasileira em campo e pela dura repressão fora dos estádios aos lutadores que contestaram os gastos bilionários com obras feitas sob medida para engordar os bolsos das grandes empreiteiras e das oligarquias governantes, entramos neste mês de julho em outra arena armada para enganar e embotar a consciência do povo trabalhador: o teatro montado pela burguesia para renovar seus gerentes em nível nacional e nos estados da federação. Sem dúvida, teremos pela frente uma dura disputa política entre as duas principais alas da classe dominante representadas pelo PT e PSDB pelo controle do governo nacional e das gerências estaduais. O fato da Copa do Mundo ter ocorrido com relativo êxito, apenas com a ocorrência de pequenos protestos populares duramente reprimidos e sem nenhuma “catástrofe” organizativa (como torcia o tucanato e a mídia burguesa arquirreacionária agrupada no PIG) deu ao PT a certeza de que o próximo mandato está garantido ao final do concorrido campeonato eleitoral. Entretanto, a presidente Dilma deve ser reeleita em segundo turno por uma pequena margem de votos, já que Aécio irá contar com a “torcida” de todo o arco conservador representado pela “nova” direita, incluindo aí o apoio velado de Eduardo Campos e Marina, em uma campanha ofensiva marcada por duros ataques à frente popular e sua limitada política de “compensações sociais”. Diante deste quadro de polarização burguesa e de um retrocesso no movimento de massas depois da derrota das greves no primeiro semestre (Metroviários, Rodoviários...), já que nada aponta que uma nova “jornada” como a de junho de 2013 venha ocorrer, os Marxistas Revolucionários devem intervir ativamente nos debates que serão travados no interior da vanguarda militante com o objetivo de defender uma alternativa política revolucionária não somente diante das candidaturas burguesas, mas acima de tudo através de uma rigorosa delimitação programática com o reformismo (PSOL e PCB) e o revisionismo trotskista (PSTU e PCO). Ao mesmo tempo, devemos apoiar e intervir decididamente em todos os processos de luta direta dos trabalhadores e do povo pobre que se choque com o regime político burguês e sua democracia, publicitando a necessidade da revolução proletária e da destruição do Estado capitalista como única forma de apontar uma saída progressiva e comunista para os explorados da cidade e do campo! A atual campanha pela imediata liberdade dos presos políticos do governo Pezão/Dilma, detidos “preventivamente” para impedir qualquer manifestação no final da Copa é o primeiro passo desta tarefa militante!

segunda-feira, 14 de julho de 2014

BLOG da LBI publica entrevista exclusiva ao Jornal Luta Operária da militante Sininho, presa política do governo Pezão/Dilma, realizada antes da Copa da mafiosa FIFA, que deixou um “legado” de repressão e corrupção ao povo brasileiro


domingo, 13 de julho de 2014



“Estado de sítio” no final da Copa do Mundo: Liberdade para Sininho, militantes do MEPR e todos os presos políticos do governo Pezão/Dilma!

Neste sábado, 12 de julho, véspera da final da Copa do Mundo da mafiosa e corrupta FIFA, em um verdadeiro estado de sítio foram presos 19 ativistas políticos, entre eles a companheira Sininho, militantes do MEPR e outros ativistas independentes em uma megaoperação policial que contou com a participação de 80 agentes, uma aeronave e o apoio do serviço de inteligência da Polícia Civil do Rio de Janeiro e da ABIN/PF do governo Dilma. Sininho foi detida em Porto Alegre e levada para a capital fluminense onde se encontra presa junto com os demais companheiros. A acusação é que ela, militantes do MEPR e companheiros independentes estavam organizando um “protesto violento” durante a final do mundial de futebol. Trata-se de uma clara perseguição política, onde “provas” foram forjadas pela Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) justamente para incriminar os companheiros por formação de quadrilha, acusando-os de portarem armas e explosivos para desferir um “ataque terrorista”, enquanto ocorreria a partida entre a Alemanha e a Argentina. O delegado geral da Polícia Civil do Rio, Fernando Veloso, cinicamente declarou ter provas “robustas e consistentes de que parte do grupo planejava protestos violentos, que aconteceriam entre este sábado e no domingo, na final da Copa do Mundo. Essa operação pode ter evitado uma série de atos de violência com artefatos explosivos que essa quadrilha pretendia desencadear, especialmente neste domingo” (G1, 12/07). Desde a LBI denunciamos esta farsa montada contra os camaradas e responsabilizamos os governos Pezão/Dilma pela prisão dos militantes que convocaram publicamente uma manifestação para este domingo com o objetivo de contestar os gastos bilionários com a farra da FIFA no Brasil. Nossa corrente, que já teve militantes presos durante os protestos contra a Copa, se coloca incondicionalmente ao lado da companheira Sininho, dos militantes do MEPR e demais ativistas políticos presos e exige sua liberdade imediata assim como convoca as demais organizações políticas a se somarem a esta campanha, inclusive mantendo o protesto que está marcado para este domingo no Rio de Janeiro, as 13hs, na Praça Saens Peña, na Tijuca! O ataque repressivo a Sininho e demais companheiros é um ataque ao conjunto da esquerda anticapitalista e revolucionária, já que atenta diretamente contra as liberdades democráticas dos ativistas e organizações políticas que contestam não só a farra bilionária da FIFA como o conjunto do regime político burguês em nosso país!

sábado, 12 de julho de 2014


Diante da Holanda o último fracasso em campo: A seleção brasileira não é a pátria de chuteiras!

O genial reacionário Nelson Rodrigues, “pó de arroz” e apaixonado pelo futebol brasileiro certa vez afirmou que a seleção canarinho era a “pátria de chuteiras”. Esta “compreensão” transformou-se quase em unanimidade nacional em tempos de Copa do Mundo, e como toda “unanimidade é burra” este falso “consenso” mais além é completamente equivocado. A realização da Copa do Mundo no Brasil colocou a nu a profunda crise do futebol brasileiro e os péssimos resultados da seleção em campo apenas refletiram este momento. A expectativa da conquista da Taça para o Brasil se desfez “tragicamente” na humilhante goleada sofrida no jogo contra a Alemanha e agora se confirmou com a perda da terceira colocação em função da derrota para a compacta seleção holandesa. No calor dos debates políticos sobre a Copa não faltaram setores da esquerda, para não falar das análises patrioteiras da direita tradicional, que insistiram em “repercutir” o enorme equívoco de mixar a seleção canarinho com a nação brasileira. Em primeiro lugar é necessário esclarecer que hoje a seleção de futebol brasileira é um “produto” administrado por uma entidade privada a CBF, empresa capitalista que organiza o campeonato brasileiro e a copa do Brasil, além da promoção de eventos esportivos diversos. A CBF tem o monopólio da convocação das seleções masculinas e femininas de futebol, pelo fato de sua filiação a FIFA, sendo que seus dirigentes não estão submetidos a nenhuma subordinação do estado brasileiro. Apesar de seu caráter de empresa privada, auferindo espetaculares lucros a seus proprietários, a CBF recebe “generoso” aporte do Estado sem que tenha que prestar contas das verbas recebidas. Mas diante dos fiascos no gramado membros do governo Dilma aventaram a possibilidade de alguma inferência na gestão da CBF, o que foi drasticamente logo combatido pelos arautos do neoliberalismo. O Tucano Aécio acusou o PT de querer “estatizar” o futebol, defendendo a total autonomia da máfia da CBF (“engordada” com o dinheiro público) frente a tênue ameaça de investida do governo. Como era de se esperar diante da pressão da mídia “murdochiana” e da Tucanalha, o governo Dilma já recuou de suas pálidas intenções de pelo menos auditar a CBF. Não podemos negar a inequívoca decepção popular com o fraquíssimo desempenho da seleção nesta Copa, um time sofrível escalado por empresários movidos por interesses comerciais. Porém, como Marxistas Revolucionários, respeitando a “afetividade” do proletariado nacional acerca do futebol, devemos declarar vigorosamente: Esta seleção brasileira não é a pátria de chuteiras, nossa nação deve ser sim representada pelas lutas dos trabalhadores e de seu povo oprimido!

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Leia a mais recente edição do Jornal Luta Operária, nº 281, Edição Especial, Julho/2014



EDITORIAL
Balanço e Perspectivas para o início do circo eleitoral

“MURDOCHIANOS” TUPINIQUINS
Quadrilha do clã Marinho após trabalhar para o caos na Copa agora faz campanha aberta pela vitória da Alemanha

ALEMANHA 7 x BRASIL 1
Dilma em “alerta vermelho” ao mesmo tempo em que as hienas da direita salivam para “faturar” politicamente em cima da humilhante derrota

ATO POLÍTICO “FURA” CERCO DO APARATO REPRESSIVO
LBI organiza combativo protesto internacionalista contra a presença do genocida Santos em Fortaleza

DIREÇÕES SINDICAIS BUROCRÁTICAS ENTERRAM GREVES
Com o refluxo das “Jornadas de Junho” e o “êxito” da Copa, Dilma volta a crescer nas pesquisas

OFENSIVA BURGUESA APÓS A DERROTA DAS GREVES
Por que as “Jornadas de Junho” não se repetiram no ano da “Copa das empreiteiras” no Brasil?

HÁ UM ANO DO INÍCIO DAS “JORNADAS DE JUNHO”
Não ao novo ataque fascista de Alckmin ao MPL e lutadores! Estatização do transporte coletivo e passe livre já!

NO ITAQUERÃO VAIAS DA REACIONÁRIA “CLASSE MÉDIA” PARA DILMA
Nas ruas violenta repressão estatal para “silenciar” as legítimas manifestações populares contra a “farra da Copa”

DESDE O GOVERNO DO RIO E SP ATÉ AO STF
Ofensiva reacionária contra as liberdades democráticas às vésperas da Copa dos “grandes negócios”

SÃO PAULO SOB A ÉGIDE DE UM REGIME SEMIFASCISTA
Prenúncio do que a burguesia projeta com Alckmin no Planalto em 2018!

UM NOME DE CONFIANÇA DO CLÃ
Os Ferreira Gomes indicam Camilo Santana para disputar o governo do CE. Próximo passo da oligarquia é embarcar o “clã” no PT!

RECADO DE AÉCIO AOS RATOS QUE COABITAM O GOVERNO DO PT
“Suguem mais e venham para o nosso lado”

DOCUMENTO PROGRAMÁTICO
Carta Aberta aos Candidatos à Presidência que se reivindicam da “Esquerda Revolucionária”

O PSEUDO “CLASSISMO” DOS MORENISTAS
PSTU coliga com a REDE de Heloísa Helena “abrindo” um palanque em Alagoas para a dupla Eduardo&Marina

COM O “APORTE” DOS CAPITALISTAS
Chapa da Frente de Esquerda “puro sangue” (MES/PSTU) conta com apoio do Grupo Gerdau no Rio Grande do Sul!

PSTU COLIGA COM O PSOL EM SÃO PAULO
Morenistas afirmam não ter “acordo programático” para apoiar Randolfe, mas com o chefe Ivan “convergência é total”!

RANDOLFE DESISTE DO PLANALTO PARA TENTAR SER O CANDIDATO DE SARNEY AO GOVERNO DO AMAPÁ
PSTU já “saliva” para poder coligar com o PSOL no Rio e ser vice de Luciana a candidata da Gerdau

GREVE DOS METROVIÁRIOS I
Suspensão da greve dos metroviários: PSTU “amarelou” diante da repressão de Alckmin. PT, PCdoB e PCO, apologistas da Copa, agradecem!

GREVE DOS METROVIÁRIOS II
LBI questiona diretamente o presidente do sindicato a inócua política de “apelos” a Alckmin! Fora Estado, patrões e pelegos da luta dos trabalhadores!

EXÉRCITO E BANDOS FASCISTAS A MANDO DE KIEV AVANÇAM SOBRE DONETSK
Vergonhosa rendição de Putin abre caminho para o esmagamento militar das “repúblicas populares”!

UE CELEBRA ACORDO COM GOVERNO FANTOCHE DE KIEV
Imperialismo avança na Ucrânia diante da vergonhosa rendição de Putin!

ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS COLOMBIANAS
Com vitória apertada e apoio da centro-esquerda burguesa, chacal Santos é reeleito para manter política de eliminação das FARC via as “negociações de paz”

AS MÃOS SUJAS DE SANGUE
Exército brasileiro ocupa há 10 anos o Haiti a serviço da exploração da Ilha negra pelas transnacionais imperialistas

ORIENTE MÉDIO EM EBULIÇÃO
Pela vitória militar do EIIL contra o governo fantoche do Iraque, “sucursal” da Casa Branca

BOMBARDEIO NA FAIXA DE GAZA, TANQUES CERCAM A CISJORDÂNIA
Vingar a ofensiva genocida de Israel através da luta pela destruição do enclave sionista e por uma Palestina soviética!

GENOCÍDIO CONTRA O POVO PALESTINO
Responder a agressão do enclave de Israel com a retomada da Intifada e a solidariedade internacionalista para derrotar a máquina de guerra sionista!


LIGA BOLCHEVIQUE INTERNACIONALISTA


quinta-feira, 10 de julho de 2014


Genocídio contra o povo palestino: Responder a agressão do enclave de Israel com a retomada da Intifada e a solidariedade internacionalista para derrotar a máquina de guerra sionista!

Nos últimos três dias bombardeios de caças israelenses na Faixa de Gaza já deixaram 81 mortos e o número de feridos graves já passa de 500, em um verdadeiro genocídio perpetrado pela máquina de guerra sionista. Edifícios residenciais foram atacados com armas proibidas inclusive pela Convenção de Genebra, como bombas de fósforo, queimando vivos diversos moradores, incluindo mulheres e crianças. A operação de guerra “Margem Protetora” foi lançada desde 7 de julho e já realizou 160 ataques aéreos fulminantes. Até mesmo o presidente da ANP, Mahmud Abbas, quem patrocina a vergonhosa política de acordos com Israel, foi obrigado a denunciar a agressão assassina: “O assassinato de famílias inteiras é um genocídio cometido por Israel contra o povo palestino. Não é uma guerra contra uma facção ou outra, ou mesmo contra o Hamas, mas sim contra o povo palestino” (Actualidad, 09/07). Na verdade, o alvo de Israel é o conjunto do povo palestino e, em particular o Hamas, já que os bombardeios se concentram em Gaza, governada pelo grupo islâmico, enquanto a Cisjordânia encontra-se cercada por tanques. Para barrar esta agressão é necessário armar o povo palestino e retomar a Intifada com o objetivo de destruir a máquina de guerra assassina, rompendo de vez com as “negociações de paz” que visam unicamente debilitar a resistência palestina frente os crimes bárbaros da ocupação sionista.

Quadrilha do clã Marinho após trabalhar para o caos na Copa agora faz campanha aberta pela vitória da Alemanha

A mafiosa organização Globo (favor não confundir com o antigo pastelão conservador fundado por Irineu Marinho em 1925), que foi montada no Brasil no final dos anos 60 como uma colateral do Departamento de Estado Norte-Americano com os Dólares da “Time Life”, não se conforma mesmo com o fracasso em sua tentativa de sabotagem da Copa. Sócia da FIFA, a rede Globo faturou milhões de Dólares com o monopólio das transmissões dos jogos no país e mesmo assim trabalhou duro para “vender” ao mundo a imagem de um Brasil totalmente desestabilizado por uma avalanche de protestos sociais no período do evento da FIFA, o que obviamente não correspondia à realidade. Ao mesmo tempo, os “murdochianos” tupiniquins cinicamente difundiam em seus meios a suposta incapacidade do governo Dilma em garantir a infraestrutura básica da Copa nos prazos estabelecidos. Nada disto ocorreu, apesar dos faraônicos investimentos estatais despejados na conta da iniciativa privada para assegurar a realização do mundial no “país do futebol”. Com o “êxito” da Copa, considerada a segunda maior em presença de público, ficando atrás somente dos EUA em 1994 quando a seleção canarinho conquistou o “Tetra”, restava apenas para as vozes da reação Demo-Tucana (da qual a Globo é porta-voz) torcer pela derrota do Brasil em campo. A poderosa seleção da Alemanha não teve grandes dificuldades para humilhar o fraco time brasileiro, organizado pelo decadente Felipão a serviço de patrocinadores sem nenhum compromisso com o esporte nacional. Agora que Dilma não mais poderá entregar a taça ao capitão Thiago Silva, para a direita “ortodoxa” a palavra de ordem do momento é evitar a todo custo que a conquista da Copa “caia no colo” da presidenta Cristina Kirchner, odiada pelos barões internacionais da mídia corporativa em função de seu tênue nacionalismo burguês. A rede Globo colocou todos seus noticiários para produzir um clima xenófobo anti-argentina no país. Os ventríloquos dos Marinho afirmam que será uma vergonha para o governo brasileiro “condecorar” o capitão Lionel Messi, entre outras asneiras do tipo. O ódio da elite racista brasileira contra seu próprio povo e também aos “hermanos” latino-americanos agora se transformou em vibração histérica pelo triunfo da Alemanha na Copa, como se este fato representasse a vitória do imperialismo sobre as nações oprimidas. Nós da LBI como internacionalistas que somos, saudamos o proletariado alemão e portenho pela merecida chegada de suas seleções à final da Copa, ao mesmo tempo em que vigorosamente declaramos nosso combate ao evento mercantil da FIFA, bancado na maior parte pelo botim do Estado brasileiro, muito distante do verdadeiro espírito do esporte e das culturas nacionais.

terça-feira, 8 de julho de 2014


7 a 1: Dilma em “alerta vermelho” ao mesmo tempo em que as hienas da direita salivam para “faturar” politicamente em cima da humilhante derrota

A acachapante vitória da seleção alemã sobre um atônito Brasil nesta tarde de 8 de julho com certeza entrará para a história do futebol mundial, mas também terá desdobramentos na arena política nacional por mais que os principais protagonistas da “Copa da eleição” tentem negar. Mal terminava o primeiro tempo da partida, com a vitória já previamente selada da Alemanha, a principal questão que se debatia nas chamadas “redes sociais” da internet não era futebolística e sim política. Qual seria o impacto da humilhante derrota brasileira sofrida no gramado nas próximas eleições presidenciais, ou mesmo se as “Jornadas de Junho” retomariam com toda a força após o término da Copa sem a “Taça”. Para responder corretamente estas questões, em primeiro lugar teríamos que separar os verdadeiros fatores táticos da derrota em campo da seleção, para depois tentar estabelecer uma “ponte” entre o desastroso resultado esportivo e a conjuntura que se abre no país com o “apito” inicial da corrida eleitoral. A elástica goleada sofrida hoje não foi produto de uma “fatalidade” ou mesmo dos desfalques de Neymar e Thiago Silva, sem dúvida dois nomes importantes no elenco “canarinho”, o vexame de hoje é a consequência de todo um planejamento “criminoso” da comissão técnica da CBF, privilegiando a convocação de jogadores medíocres “bancados” por corporações capitalistas (em sua maioria estrangeiras) e de uma formação tática completamente equivocada em campo. O caso emblemático do nosso ineficaz centroavante Fred, patrocinado pela UNIMED, revela o horizonte tacanho que visualizava Felipão e sua “turma”. Aliás, nosso treinador muito mais se preocupou em fechar contratos de publicidade do que preparar tecnicamente a seleção brasileira. De fato, antes da Copa, Felipão só “contabilizou” menos do que o jogador Neymar, realizou comerciais para as empresas Gillette, Sadia, Vivo, Ambev, Peugeot e Walmart. Em março deste ano, três meses antes da Copa, ele apareceu em 318 inserções de comerciais na mídia televisiva. A tentativa de tentar transferir totalmente o ônus da derrota da seleção para a conta política do governo Dilma é oportunista, apesar da presidente ter sua parcela de responsabilidade ao prestigiar a máfia dirigente da CBF, inclusive com a destinação de “generosas” fatias do orçamento “público” estatal para uma entidade privada. Sejamos sinceros se a fragorosa derrota da seleção não servirá para criar uma onda de ufanismo patrioteiro no país, como em 70, também não poderá ser utilizada pela direita tucanalha pelo simples fato de que o grande “desastre” da Copa (tão esperado pelo PIG) só ocorreu dentro das quatro linhas do gramado.

segunda-feira, 7 de julho de 2014


Exército e bandos fascistas a mando do governo de Kiev avançam sobre Donetsk: Vergonhosa rendição de Putin abre caminho para o esmagamento militar das “repúblicas populares”!

O exército ucraniano e os bandos fascistas do Setor Direito prosseguem nesta segunda-feira, 07 de julho, em sua ofensiva genocida sobre a “república popular” de Donetsk, onde cerca de dois mil rebeldes ainda resistem. A tomada das cidades de Slaviansk e Kramatorsk neste final de semana foi o primeiro êxito militar de relevância das tropas ucranianas. Após a vitória, o governo fantoche de Kiev está muito mais propenso a seguir pela via militar do que pelas “negociações” com Moscou. Tanto que o presidente ucraniano, o magnata Petro Poroshenko, declarou em mensagem transmitida pela televisão: “Minhas ordens seguem vigentes: é preciso cercar os terroristas. Seguir com a operação para liberar as regiões de Donetsk e Lugansk” (Actualidad, 06/07). Na verdade, a investida assassina de Kiev ganhou força nos últimos dias diante da completa rendição de Putin, que se negou vergonhosamente a apoiar militarmente os trabalhadores do Leste do país que haviam, tanto por meio de referendos como por sua heroica ação direta, proclamado a independência da rica região industrial como decidido se unificar com a Rússia, seguindo o exemplo da Península da Crimeia. Os próprios dirigentes das milícias de autodefesa (que vem enfrentando os bandos fascistas e o exército da Ucrânia) chegaram a essa conclusão, como afirma Igor Strelkov, comandante militar da resistência em Slavyansk: “Se a Rússia não é capaz de garantir uma trégua e um cessar-fogo imediatos, ou se não intervir com sua força armada para nos proteger, para proteger o povo russo que reside aqui, que é parte da nação russa, seremos exterminados. Vamos ser exterminados no curso de uma semana, duas semanas, no máximo. E Slavyansk será a primeira a ser exterminada, juntamente com a sua ainda numerosa população de mais de trinta mil civis. Estou sendo convidado a assumir a responsabilidade por sua morte. E pela morte da brigada de milícia sob o meu comando. Estamos prontos para lutar. Estamos prontos para morrer. Mas não quero morrer sem sentido, enterrando sob as ruínas da cidade as pessoas que acreditaram em nós” (Apelo urgente de Igor Strelkov, 04/07). Neste momento crucial em que o direito democrático do Leste de separar-se da Ucrânia (sob controle de um governo fantoche dos EUA e da UE) está sendo esmagado através de um verdadeiro banho de sangue sob o olhar passivo e covarde do governo Russo, é urgente que os revolucionários encabecem um chamado urgente à solidariedade do proletariado mundial aos seus irmãos de classe, denunciando o genocídio em curso e convocando em especial os trabalhadores russos a conformar brigadas antifascistas em defesa dos rebeldes de Donetsk a fim de barrar a ofensiva militar e expropriar os burgueses que colaboram com Kiev! Nesta senda, o proletariado russo e das ex-repúblicas soviéticas devem denunciar impiedosamente a completa rendição de Putin frente à ofensiva patrocinada pelas potências capitalistas agrupadas na OTAN, forjando uma direção revolucionária marxista-leninista capaz de derrotar o imperialismo e a reação fascista, criando assim as condições políticas para construir uma alternativa de classe a Putin e sua corja restauracionista!