sábado, 6 de outubro de 2018

ANITA, FILHA E HERDEIRA POLÍTICA DO LEGADO DE PRESTES, FIEL A VELHA TRAJETÓRIA DE COLABORAÇÃO DE CLASSES DO "PARTIDÃO" DECLARA VOTO EM HADDAD DO PT


Dirigente por uma década da corrente "Prestista", Anita Leocadia , acaba de declarar seu voto "crítico" para presidente no candidato do PT Fernando Haddad, justificando sua posição na necessidade de derrotar eleitoralmente o candidato da direita fascista Jair Bolsonaro. Para a geração dos militantes mais novos, cabe esclarecer que Anita, professora de história da UFRJ, não é apenas a filha e "cuidadora" do acervo pessoal e político do "Cavaleiro da Esperança", como era mais conhecido o ex-secretário geral do PCB até 1980, data de sua ruptura com o "Partidão". Quando Prestes volta do exílio e rompe com a orientação de Giocondo Dias, que a partir daí ascende ao controle do PCB, Anita assume a tarefa junto ao pai de organizar uma nova corrente de esquerda comunista no país, este agrupamento político que existiu durante uma década até 1990, nunca teve especificamente uma "sigla"(ficou conhecido por "Prestismo") se extinguindo com a morte do "Cavaleiro da Esperança" naquele mesmo ano. Prestes teve muita dificuldade em traçar um caminho programático que fosse radicalmente distinto do "Partidao", embora tenha feito uma inflexão bem a esquerda das teses reformistas levantadas por Giocondo Dias e Salomão Malina, que chegaram até a defender uma "constituinte com João", em alusão ao general João Figueiredo, presidente do regime militar até 1984. Prestes na verdade nunca rompeu com a raiz programática do stalinismo, ou seja a colaboração de classes, embora tivesse discordâncias com os "absurdos" políticos do PCB, como o seu seguidinho na época ao PMDB. Coube a Anita Leocadia a tarefa de organizar e centralizar a nova corrente comunista fundada pelo seu pai e que carecia de quadros partidários, mais além da enorme influência política exercida por Prestes no movimento de massas. Foi justamente por esta debilidade de quadros e pelo temor que a URSS viesse a repreendê-lo, que Prestes sempre se recusou a por uma "sigla" em sua organização, que ficava muito diluída no entrismo que seus militantes praticavam no PDT de Brizola no Rio de Janeiro e no PT em outros estados do país. Com a morte de Prestes no início de 1990, sua corrente política ficou pulverizada em vários grupos menores e até no PCB, que abrigou o retorno de antigos prestistas, porém Anita "administrou" a diáspora dos seguidores de Prestes, sem nunca optar por ingressar uma nova organização comunista em particular, ficando com a missão de resguardar o legado histórico do "Cavaleiro da Esperança", insígnia dada ao seu pai pelo escritor Jorge Amado nos anos 40. Mas no último período Anita e o PCB vinham desenvolvendo um um trabalho político comum, configurando um resgate da figura legendária de Prestes por parte da nova direção do partido. Como todos sabem o PCB vem integrando uma frente estratégica com o PSOL, marcada pela completa diluição dos "comunistas" na plataforma Social Democrata defendida por Guilherme Boulos. O PSOL tornou-se um apêndice ideológico do PT, um pouco mais "radicalizado" e sem as alianças escandalosas praticadas pelo partido dirigido por Lula e outros burocratas que cederam ao "canto doce" da burguesia nacional. Desgraçadamente atualmente o PCB envereda pelo mesmo caminho do PSOL, parece que não tirou as lições do período que quase levou a sua destruição enquanto um Partido Comunista. Como agora na reta final das eleições a candidatura de Boulos se "derrete" politicamente entre os que seguirão com Haddad ou o oligarca Ciro Gomes, Anita resolveu ser mais "honesta" intelectualmente e aderiu criticamente a campanha do PT. O PCB mesmo vilipendiado pelo PSOL, como no caso de sua candidata ao senado pelo Rio de Janeiro, seguirá com Boulos até o final, ainda que a candidatura do líder do MTST represente programaticamente o mesmo conteúdo do petista Haddad. Anita, segue mais "coerente" na fidelidade à velha trajetória de colaboração de classes do "Partidão".

----------------------------------------

DECLARAÇÃO DE ANITA LEOCADIA PRESTES

No grave momento que atravessamos, às vésperas de eleições gerais, marcadas pelo perigo de um retrocesso de caráter autoritário e fascista, que poderá ocorrer com a eleição para presidente da República do capitão Jair Bolsonaro, sinto-me no dever de alertar amigos e companheiros para o risco que as forças democráticas e populares em nosso país correm neste momento – a volta de uma ditadura semelhante à que, durante 21 anos, perseguiu, prendeu, torturou e matou milhares de compatriotas.

Dirijo-me aos admiradores e seguidores de Luiz Carlos Prestes, meu pai, lembrando-lhes que , em 1989, para tentar derrotar Fernando Collor, o candidato da direita, sob a orientação de Prestes, apoiamos a candidatura de Lula, apesar de todas as restrições que sempre lhe fizemos.

Da mesma maneira, hoje para derrotar a direita fascista é necessário votar em Fernando Haddad, o candidato de Lula, apesar de reconhecer a grande responsabilidade do PT, seu partido, pela situação crítica hoje criada em nosso país.

Todos unidos pela derrota do fascismo!

Rio de Janeiro, 3 de outubro de 2018.

ANITA LEOCADIA PRESTES